page
Ni Hao! Hoje teremos mais um post delicioso sobre Xangai escrito pela super Lívia Zonzini. O assunto? A tão falada gastronomia chinesa, seus mitos, onde comer e como um ocidental pode se adaptar facilmente à hora das refeições na China. Bom, antes de tudo, é importante dizer que a culinária chinesa tem mais de 3 mil anos de história,  é super rica na sua variedade de ingredientes e modos de confecção dos mais de 10 mil pratos oriundos de cerca de 20 cozinhas regionais e é muito apreciada aqui no Brasil. Quem nunca se deliciou com um Frango Xadrez, um belo Bifum ou um suculento Yakissoba, mesmo sem ter qualquer contato com a cultura chinesa, né? A questão é que trata-se de uma cozinha marcada pelo contraste das cores, aromas e sabores de cada prato, cuja tradição é baseada no conceito de que os polos contrários – yin e yang – se complementam. É comum vermos a mistura de pratos doces e salgados, picantes e agridoces ou quentes e frios. As diferentes formas de corte também são comuns na culinária chinesa: cortar os alimentos em pequenos pedaços, por exemplo, facilita o uso dos tradicionais palitos.A cozinha chinesa é representada por quatro grupos principais, do Norte, Sul, Leste e Oeste do país, e cachorro, gato, cobra e macaco são consumidos apenas como alimentos exóticos – assim como o jacaré é consumido no Brasil, por exemplo.  Ocorre que, num país imenso como esse, com tantas diferenças climáticas e paisagísticas, onde vivem centenas de milhões de pessoas, a variedade é muito bem vinda e, principalmente, necessária. E os cozinheiros chineses, desde os primórdios, souberam tirar proveito da inventividade e da versatilidade. Desenvolveram, ao longo dos milênios, técnicas tão sutis de preparo e cozimento dos alimentos que transformaram sua cozinha em uma das mais refinadas do mundo.
 
 
receita-frango-xadrez-1

Frango Xadrez

 

Satay de Frango

Satay de Frango

 

Bom, a Lívia já começou me contando que, chega até a ser engraçado, mas quando ela conta para alguém que mora em Xangai, em 90% das vezes, a primeira pergunta que fazem é: “mas o que você come lá?”

 

Hahaha. E emendou dizendo que, na verdade, nunca viu ninguém comendo espetinho de escorpião ou de qualquer outra coisa bizarra em Xangai. Ela diz que esse lance do espetinho passou a ser atração turística na China, tanto que em Beijing existe até uma feira aonde essas iguarias são vendidas. Agora adivinhem do que é formado o público da tal feira? Sim, um monte de estrangeiros  🙂 O fato é que nas regiões mais remotas existe sim um “menu diferenciado”, que inclui insetos e partes de animais que o mundo ocidental jamais pensaria em levar pra cozinha.

  

1

 

2

 

A Livia me explicou que, para entender isso melhor, é necessário saber que na China TUDO é sobre comida! Comida é um fator cultural muito importante além de relacionar a qualidade daquilo que você ingere com os benefícios gerados no seu corpo, como por exemplo: comer cérebro de carneiro faz bem para o desenvolvimento do intelecto, comer testículos de galo faz “bem pro homem”, e por ai vai. Viram como isso explica boa parte desse cardápio não ortodoxo? Explica perfeitamente itens um tanto “diferentes” que a Lívia está acostumada a encontrar nas grandes redes de supermercados, como Carrefour e Wal-Mart:

 

Esse é o açougue. Um “pouquinho” diferente do padrão brasileiro, nao?

Esse é o açougue. Um “pouquinho” diferente do padrão brasileiro, nao?

 

Alguém tem alguma boa receita para esses focinhos de porco?

Alguém tem alguma boa receita para esses focinhos de porco?

 

Sapos e tartarugas ainda vivos, afinal quanto mais frescos os alimentos, melhor.

Sapos e tartarugas ainda vivos, afinal quanto mais frescos os alimentos, melhor.

  

A Lívia me disse que não consome nada disso, mas explica que esses supermercados são gigantes e ótimos para os itens de primeira necessidade, como arroz, massas molhos e produtos de limpeza. Em relação a esses itens, ela comentou: “embora eu nunca saiba direito o que estou comprando”. Risos. Rótulos em chinês: não sabemos lidar. 

 

Para refinar as compras, existem alguns outros supermercados menores – e mais caros – mas especializados em atender o publico estrangeiro. Neles encontra-se de um tudo: queijos europeus, temperos de toda parte do mundo, cervejas belgas, azeites trufados, carne australiana, bolachas suíças, legumes e vegetais orgânicos, e por aí vai. Até o nosso feijão carioca ela encontrou por lá 🙂

 

6

 

Resumindo, ela não passa fome lá 😉 Pelo contrario, além de encontrar de tudo para preparar as refeições com o gostinho brasileiro, ainda existem restaurantes fantásticos em Xangai, que atendem a todos os paladares.

 

O Ultraviolet é um excelente exemplo. Ao fazer a sua reserva – o que deve ser providenciado com pelo menos 3 meses de antecedência – você é orientado a se dirigir a um ponto de encontro. De lá, uma limusine te leva até o lugar secreto, ou seja, ninguém sabe aonde o restaurante esta localizado. Demais né? Chegando no restaurante, uma mesa para 10 pessoas espera os clientes da noite. Sem decoração, sem pinturas, sem paisagem, o Ultraviolet é equipado com um sistema multissensorial, aonde o ambiente é vestido por luzes, som, musica, cheiro, brisas, imagens, imaginação e é claro, comida. Preço salgado, mas vale a pena a experiência.

 

Ultraviolet by Paul Pairet

Ultraviolet by Paul Pairet

 

A rede de restaurante Ding Tai Fung serve um dumpling sensacional. O melhor de Xangai, na opinião da Lívia. Ambiente informal, preços super acessíveis e comida deliciosa. Perfeito!

 

Os deliciosos dumplings - em chines, xiaolongbao - podem ser recheados de porco, frango, carangueijo, trufas…varias opções no menu.

Os deliciosos dumplings – em chines, xiaolongbao – podem ser recheados de porco, frango, carangueijo, trufas…varias opções no menu.

                                               

Seu restaurante preferido em Xangai é o francês-moderninho Mr. and Mrs. Bund. Como o próprio nome diz, o restaurante fica localizado no Bund, às margens do rio, o que te proporciona uma das vistas mais fantásticas da cidade. Ambiente super descolado, grande variedade no menu, vinhos fantásticos, cervejas especiais e funciona ate as 2 da manha. E complementa:

 

“Se você estiver numa pegada mais descontraída, Xangai é repleta de cantinhos espetaculares. No bairro da Concessão Francesa você encontrará inúmeros bistrôs, cafés, sorveterias, lugares super charmosos para tomar cerveja e comer hambúrguer e até mesmo tapas espanholas em um pátio ensolarado. Poderia ficar dias aqui escrevendo sobre os diferentes restaurantes de Xangai. A variedade é imensa e tem opções para todos os bolsos e paladares”.

 

Affff Lívia, e a gente poderia passar dias lendo suas dicas e suas impressões!

 

Gente, se alguém quiser mandar perguntas sobre Xangai ou sugestões para os próximos posts, pode mandar mensagem aqui nos comentários ou para o e-mail da Lívia:  hello_fun_in_asia@yahoo.com. E sigam o IG dela! É o @fun_in_asia. Tem muita coisa bacana! 

 

Já estou ansiosa pelo próximo post! E vocês?  

 

Zaidian!

Postado por às 17:33

gastronomia category image
. Comentar


5 Comentários

  1. Camila disse:

    Adoro os posts da Livia sobre a China!! Esse lugar eh magico !!!

  2. Catarina (IG: fit_in_china) disse:

    No post colocam uma imagem de stay de frango mas o satay não é comida chinesa, é uma especialidade da Malásia e Indonésia…

    Estou a adorar os posts. Vivo em Macau e fui a Shanghai já há algum tempo, ouvi dizer que a cidade se modernizou muito. Gostaria de sugestões de bares! :-p
    Já agora o Din Tai Fung é originário de Taiwan. Aqui em Macau também há e concordo são de facto dos melhores dumplings 🙂

    • Silvana Bertolucci disse:

      Oi Catarina, tudo bem? Na verdade não abordamos o assunto culinária de forma didatica neste post. Falamos sobre as impressões da Lívia. Obrigada pela mensagem!

  3. Lica disse:

    amei as dicas da Lívia!!! Conta mais…

Deixe o seu comentário!

© 2017, Silvana Bertolucci. Todos os direitos reservados.
desenvolvimento: Absoluto Web